Transparência e Governança

 
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
notícias Brasil é um dos países com menos mulheres nos conselhos


Brasil é um dos países com menos mulheres nos conselhos

Por Adriana Fonseca | Valor

SÃO PAULO - Embora muito se fale, em todo o mundo, sobre a importância da diversidade nos conselhos de administração das empresas, o aumento da participação das mulheres nos ‘boards’ ainda caminha lentamente. Um estudo publicado recentemente pela GMI Ratings mostra que, globalmente, apenas 10,5% dos assentos nos conselhos eram ocupados por elas em 2011. Um ligeiro aumento de 0,7 ponto percentual em relação ao ano anterior. O levantamento analisou 4.300 empresas  de 45 países.

O Brasil apresenta uma das taxas mais baixas nesse quesito — 4,5% dos assentos nos conselhos pertenciam às mulheres no ano passado, índice apenas 0,1% maior do que em 2009. Registram presença feminina igual ou inferior somente a Itália (4,5%), a Coreia do Sul (1,9%) e o Japão (1,1%).

Heloisa Bedicks, superintendente geral do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), explica que entre as mulheres da geração que hoje tem mais de 50 anos — faixa etária mais comum nos conselhos — são poucas as que conseguiram chegar ao topo da hierarquia das empresas, uma vez que não foram preparadas para o mercado profissional. Além disso, ela destaca que existe um resquício do traço cultural da sociedade patriarcal vivida pelo Brasil por muitos anos. “Uma maior presença feminina nos conselhos, porém, é uma questão de tempo. Em vinte anos devemos chegar ao mesmo patamar da Noruega”, diz. A referência de Heloísa não é por acaso. Os países com mais mulheres nos conselhos, segundo o GMI, são os nórdicos — Noruega (36,3%), Finlândia (26,4%) e Suécia (26,4%).

A Noruega estabeleceu, em 2003, uma lei exigindo das empresas que 40% dos assentos nos conselhos fossem ocupados por mulheres. A meta ainda não foi atingida, segundo o levantamento da GMI, mas está bem próxima. A iniciativa intensificou o debate sobre o tema em outros países da Europa como Espanha,  Islândia, Holanda, França, Suécia e Alemanha.

 

 

 

 

 

Matéria publicada no Valor Econômico em 22/03/12. Para ler a íntegra, acesse o site do jornal:

http://www.valor.com.br/carreira/2582272/brasil-e-um-dos-paises-com-menos-mulheres-nos-conselhos

 

 


Copyright © 2019 Transparência e Governança. Todos os direitos reservados.
___by: ITOO Webmarketing