Transparência e Governança

 
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
notícias Minoritários registram voto contrário


Minoritários registram voto contrário


O caminho da Oi para essa nova etapa societária não foi trilhado sem percalços. Nesse período de nove meses desde o anúncio da reestruturação, em 24 de maio de 2011, a companhia enfrentou questionamentos sobre o trabalho dos comitês independentes que negociaram a relação de troca, sobre os diversos laudos usados nas operações e ainda teve que responder a inúmeras demandas levantadas por minoritários na CVM.

Se o processo foi difícil durante toda a gestação, no dia do "nascimento" da nova Oi não seria diferente.

Embora quase nenhum investidor individual tenha comparecido às assembleias realizadas ontem, no Rio, diversos advogados munidos de procurações marcaram presença, principalmente na assembleia da Brasil Telecom.

Tendo como base as informações do Formulário de Referência para a posição do controlador e o quórum de presença na assembleia da Brasil Telecom, estavam presentes acionistas minoritários detentores de cerca de 8% das ações ordinárias, com direito a voto, e pouco mais de 9% das ações preferenciais, sem voto.

Esses 8% do capital votante equivalem 40% do total de ações ordinárias em circulação, quando se exclui a fatia detida pelo controlador. Em relação às preferenciais, o peso é bem menor, de 15%.

 

 

 

Matéria publicada pelo Valor Econômico em 28/02/12. Para ler a íntegra, acesse o site do jornal:

http://www.valor.com.br/empresas/2545390/minoritarios-registram-voto-contrario

 

 


Copyright © 2019 Transparência e Governança. Todos os direitos reservados.
___by: ITOO Webmarketing