Transparência e Governança

 
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
notícias O fechamento de capital de Redecard foi benéfico aos minoritários?


O fechamento de capital de Redecard foi benéfico aos minoritários?

Por André Rocha

O Itaú Unibanco anunciou nesta terça, 07 de fevereiro, sua intenção de fechar o capital da Redecard (RDCD3). Menos de cinco anos após a abertura (IPO, sigla em inglês), a empresa deve deixar o mercado. Por que o Itaú decidiu cancelar o registro da companhia de cartões de crédito? Foi positivo para os minoritários de Redecard e Itaú?

Redecard veio a mercado em julho de 2007 com uma oferta primária (quando novas ações são emitidas) e secundária (venda de papéis dos acionistas originais), movimentando R$ 4,1 bilhões. A operação foi majoritariamente secundária, representando 90% do total. O Itaú Unibanco pretende realizar uma oferta aos minoritários, pagando R$ 35 por ação, para cancelar o registro de companhia aberta de Redecard. A operação deve atingir R$ 11,8 bilhões. É necessária a aprovação de 2/3 desses acionistas para que a operação se realize. A Lazard Asset Management com 11,8% da companhia terá papel importante para se obter o quórum necessário ao fechamento.

 

 

Análise de André Rocha, publicada em 07/02/12 no Blog O Estrategista - Valor Online. Para ler a íntegra, acesse:

http://www.valor.com.br/valor-investe/o-estrategista/2521858/o-fechamento-de-capital-de-redecard-foi-benefico-aos-minoritari

 

 

 

 

 

 


Copyright © 2019 Transparência e Governança. Todos os direitos reservados.
___by: ITOO Webmarketing